terça-feira, 26 de maio de 2009

Snif, Snif

Quando eu era criança (com 5 anos) eu tinha um cachorrinho de pelúcia chamado Snif. Na verdade, acho que toda menina da minha idade tinha. Era febre. Todo mundo queria um Snif. E eu tinha o meu. Me lembro que quando comprei, estava no supermercado com minha mãe e meu pai, e tinha um monte, um em cima do outro naquelas caixas qnd tem promoção de alguma coisa, que fica todo mundo em cima. Eu queria branco, mas minha mãe disse que sujava e falou pra eu pegar o marrom. Sugestão de minha mãe era ordem.
Eu era louca pra ter um cachorro de verdade. Tenho um tio que cria cachorro desde que eu me entendo por gente. E sempre que eu ia pra casa de praia dele, ele me ensinava tudo sobre cachorro. Deixava eu passear com os dogs dele, brincar...mas enquanto eu não podia ter um de verdade, me contentava com meu Snif.
A gente dormia junto todos os dias. No lugar do travesseiro no meio das pernas, era ele que me colocava pra dormir. Eu era tão apegada a ele, que onde eu fosse, eu levava. Qualquer viagem. Sempre juntos. Eu e Snif.
Nos ensinamentos da vida, minha mãe sempre dizia que quando a gente morresse, não levaria nada pro céu. Que tudo ficaria aqui. E isso me deixava triste. Pq eu queria levar Snif comigo. Em minhas orações, eu sempre pedia, se era possível quando eu morresse, levar Snif comigo. Mas à medida que eu fui crescendo, fui percebendo que era uma missão impossível.
Depois vieram os cachorros de verdade. Me lembro que minha primeira cadela (aprendi com meu tio a gostar mais das fêmeas que dos machos e sempre dei preferência às meninas), se chamava Sany. Era uma Cocker. Antes de ganha-la, rezei tanto, mas tanto. Me lembro que eu estava na casa de meu pai, olhei pra uma planta e pensei: “quando ela estiver grande, eu vou ganhar meu cachorro.” Rezei 100 pai nossos e 100 ave Marias. E quando a plantinha cresceu de fato, eu ganhei minha primeira cadelinha. E como de praxe, todo filhote adora roer tudo. E Snif foi um de seus alvos. Minha mãe reformou e tudo. Costurou Snif todo. Ele já estava todo remendadinho quando chegou a segunda cadela, Hannah. Em meados dos meus 15 anos, Snif era quase pano puro. O algodão já quase não existia dentro dele. Ele era o preferido dos cachorros de verdade. E na minha tentativa de praticar o desapego às coisas materiais, fui deixando ele pra lá. Até o dia que o resto do paninho dele desapareceu completamente. Não sobrou nada pra contar história.
E acreditem, até hoje ele me faz a maior falta. Sempre que vou dormir me lembro dele. Não tem travesseiro que substitua meu Snif. Fora que se ele ainda existisse, me deixaria mais presa ao meu passado, aos meus pais. Ontem eu de TPM, não conseguia dormir direito. Aquele nervosinho que vem de dentro, que só quem é mulher sabe. Tosh, o cachorro de verdade chorando, cagando, mijando. E meu Snif virou lenda. Eu amo Tosh. Mas ontem eu queria meu Snif. Que inclusive, era IDENTICO a esse da foto. Depois dizem que tudo é substituível. Eu não acho. Acho exatamente o contrário. Que tudo e todos são únicos e INSUBSTITUÍVEIS.
O que passou, nao volta mais. Mas o que está agora, pode ficar pra sempre. Hoje, eu sei disso.
Nostalgia...

12 comentários:

Daniel disse...

Uau... é verdade, nada nessa vida substitui uma coisa que temos apego, nada substitui o outro, temos que dar valor a essas coisas na vida e saber viver o hoje... pq o passado já foi, e o amanhã? só o tempo dirá.

Deby Brainer disse...

ooww jisus
deu pena de vc agora sabia? *-* a menininha carente ohhhhhhhhnnnnnnn!
mais falou tudo viu?! nada se substitui!
eu nao lembro desse bixinho sabia?:X e olhe q quase temos a mesma idade rsrsrs mais de verdade nao lembro :/
amo tu xuxu (L)
saudades de tu!
bjaaaao :*

Maria Clara Tavares disse...

Minha mãe me disse que todos os meus brinquedos eu quebrava, rs. Mas se bem que eu já passei pelo que você passou... Mas foi com uma roupa. Eu tinha uma dessas roupinhas que os bebês usam, sabe? E eu fiquei com ela até meus 12 anos - até o ano passado. E eu dormia com ela, ela virou a minha finha predileta (finha é uma espécie de paninho que usamos para dormir, como você fazia com Snif). Lembro-me de todos os detalhes... Ela era cheia de bordados, e todos rosa com branco, linda, linda. Só que os desenhos começaram a desaparecer, e o pano ficou cada vez mais fino - devido as lavagens e tal - foi se rasgando... Mas eu a aproveitei até o ultimo fio, rs.
Amplexo.

£uh Oliveira disse...

Por que será que eu me identifiquei com a sua história?? Rsrs...
Eu no meu aniversário de 5 anos ganhei uma ursinha do meu pai.
Acho que por ser meu pai que me deu e por ele morar longe,sempre fui mto apegada a ursinha.
Pra mim,foi um modo de crescer com o
meu pai sempre por "perto".
Talvez seja uma forma de cobrir a carência que sentimos!! (:

BeijOs Bru!!

Karina Rebechi! disse...

Toda criança se apega a algo quando pequena!!!
Eu tinha uma Uva gigante a chamava de uvinha!

A uvinha era minha pscicóloga, minha amiga, eu fazia confidências para ela!

Adoooooro!!

bjo

Mel disse...

Acho que todos temos algo que nos apegamos qdo criança...E que nos fazia "viajar" de alguma maneira, que nos deixava mais acolhidos...
E nos certificar que somos unicos e cada coisa tem seu grau de importancia é um passo largo no nosso crescimento! Tudo que pode ficar pra sempre, mesmo que seja em nossas lembranças!!

Ótimo fim de semana!!
Milhares de bjs

fezinha disse...

ain bruna ..lembrei dos coitados dos filhotes que morreram drr ...kkkkkkkkkkkkkkkkkkk ....
desculpa ..não me contive :P

esse ditado pra mim nunca colou ..cada um é cada um ..ninguém ocupa o lugar de ninguém no coração das pessoas ..não precisamos de gostar de 1 pra começra a gostar de outro ..isso já é um sinal de que naum substituimos e sim abrimos as portas do coração para um sentimento novo

bê disse...

ooohhhnnn... que graciiiiiinhaaa... juro q se um dia eu ver um snif por ai, eu compro pra vc!!! rsrs..

Uma semana abençoadissima pra vc!!!

beijao

Aline Cardoso disse...

onw muito lindo esse post!
realmente tudo e todos são únicos e INSUBSTITUÍVEIS.
Boo adorei te conhecer aqui em Fortaleza, você é muito mara, foi la falou com a gente, tirou foto, conversou, foi super atenciosa!
Gostei muito de te conhecer espero que você venha mais vezes aqui pra Fortaleza!
olha ai a minha fotinha com vc!*-*
uma das, ne?! pq acabei tirando um monte rsrsrsrs...
Obrigada pelo carinho!
meu cartaz tava tão lindo ficou, mas só o pó depois da chuva!rsrsrs...
Bjokks;*

Cristtiane Melo disse...

Falou e diiisse bruninha. Nada é substituível. E são muitos os 'sniffs' que sentimos falta na vida... Sejam pessoas, momentos, objetos, tudo marca de alguma forma nossa vida.

fica com Deus :*:*

Mel disse...

Saudades Bruninhaaaaaaa!!!
Q sua semana seja repleta de coisas MARAVILHOSAS!!
Mta luz pra nós!!!
Milhares de bjs

Taisa Gamboa * Borboletas disse...

Aiiiiiii! Eu tinha um cachorro dessesssss! hhahahahahaha